Lançamento do Álbum e Entrevista Exclusiva do RKC, banda do Ex-Babyshambles Adam Ficek

O compositor e ex-baterista do Babyshambles, Adam Ficek, lançou no último dia 1 de novembro o seu terceiro álbum de estúdio “British Plastic” com o RKC, antigo Roses Kings Castles, atual banda/projeto solo do artista, o álbum foi disponibilizado e você pode ouví-lo exclusivamente em stream aqui no 505 Indie e comprá-lo por 5 libras neste site, os arquivos em mp3/flac.

Análogo ao lançamento do novo álbum o multi-instrumentista, lançou também o videoclipe para o single da vez, “Kitten Become Cats”, tentei tirar do Adam sobre o que se trata este videoclipe, na entrevista logo abaixo, mas ele não entregou muita coisa, trata-se de uma trilogia, sobre um ex-campeão de snooker, o vídeo conta com a participação do Patrick Walden (ex-babyshambles) e responsável pela guitarra neste disco do RKC:

Na entrevista que fiz com o Adam Ficek, conversamos além do videoclipe, sobre o lançamento de “British Plastic“, o processo de composição já que trata-se de um disco bem diferente do que ele havia oferecido anteriormente, principalmente na levada eletrônica nas batidas e ritmos escolhidos, a participação do Patrick Walden, e claro a sua saída ainda nebulosa do Babyshambles.

Como foi para você gravar este novo single?

Com Kittens becomes Cats eu queria fazer algo que fosse mais vísceral que qualquer coisa que já tenha feito anteriormente, é muito mais baseado em groove do que qualquer coisa que fiz com o Babyshambles, ele volta a minha origem prévia na música eletrônica e no breakbeat.

O álbum novo é claramente mais eletrônico que “Suburban Time Bomb” (que foi um bom disco), qual foi sua idéia ao criá-lo e qual as suas expectativas?

Sim, eu discoteco bastante e estava ficando mais e mais influenciado pela pegada sonora da música eletrônica. Eu também estava ficando meio de saco cheio de tocar em versões acústicas e queria tocar em ambientes mais club, então a produção tinha que ser maior e mais visceral. Eu acho que o álbum como sempre, terá reviews misturadas mas em última instância é uma coleção sincera de música. De qualquer forma eu sempre sigo em frente psicologicamente quando um álbum é lançado, minha cabeça fica sempre pensando no próximo.

O disco chega bem próximo ao disco anterior, por que?

Eu tinha as músicas e as idéias então porque não fazer um álbum? Eu genuinamente me
sinto bem em fazer música. Não tem nada melhor que expor uma idéia e desenvolvê-la, é mágico. Antes eu tive sorte o suficiente para ter contrato com gravadora, eu sempre tive que trabalhar em empregos diurnos então eu sempre tive uma ética muito forte de trabalho. Eu vejo várias bandas que amam a idéia de estar em uma banda, mas eles não são músicos de coração, não possuem ética de trabalho. É necessário paixão verdadeira  trabalho duro para se fazer um disco.

Como você compõe, me fala dos passos na gravação, quero saber sobre esse processo que você atravessa…

Primeiro eu tenho idéias de melodias, de apenas tocar os acordes no piano ou no violão, E então, eu canto melodias por cima. É como acontece normalmente, a próxima parte vêm de misturar ritmos e batidas para tentar criar a fundação, onde a música será construída. O último estágio é escrever a letra, eu tendo a cantar palavras que encaixem na melodia, o que significa que eu tenho que voltar e fazer a letra encaixar melhor, antes de começar a gravar.
Uma vez que a música está pronta, eu misturo diferentes timbres e texturas para conseguir o som que eu quero. Quando isso está feito, faço um mix bruto e trabalho em cima disto por um tempo, antes de decidir o que precisa ser mudado.

Falando sobre Kitten Become Cats novamente, como veio a idéia para o vídeo?
Como foi feito?

A idéia é basicamente um curta sobre um ex-campeão de sinuca, eu não posso falar muito mais porque os dois próximos singles, vão em frente formando as 3 partes do filme.
Como sempre minhas coisas são criadas com a ajuda de amigos. Não existe um grande orçamento para videos, não existe um grande orçamento para produção, não existe um grande orçamento para promoção. É através de pessoas como você que enxergam além da mídia de massa e tem uma paixão verdadeira por artistas de verdade.

Obrigado, de verdade. Eu não sei se isso é um assunto proibido ou não, mas Pete Doherty estaria aqui no Brasil em dezembro próximo e o show dele chegou próximo ao esgotamento com poucos dias de venda, eu quero dizer que o Babyshambles tem grande audiência por aqui. O que o Babyshambles significou para você? Algum arrependimento ou sentimento mal resolvido daquele tempo? E… o que daquele tempo você traz para o seu trabalho exclusivo atualmente?

O Babyshambles foi uma excelente oportunidade para mim, e eu tive ótimos momentos. Eu tento não pensar muito porque eu ainda me sinto muito chateado sobre como terminou.
A única coisa positiva sobre a situação é você perceber as boas pessoas que existem na sua vida. Quando eu e Drew (baixista) fomos inicialmente sacados da banda, foi chocante ver como muitos de nossos “amigos” pareciam olhar para o outro lado. Como eu disse previamente, a experiência toda me fez mais determinado. Derrubou-me por um tempo mas eu me mantenho focado!

Eu notei que Roses Kings Castles, é agora RKC, comente…

Eu queria seguir em frente musicalmente e começar algo novo, então me pareceu cabível abreviar o nome.

Patrick Walden gravou a guitarra, você poderia falar mais sobre como foi trabalhar com ele desta vez?

Eu sempre me mantive em contato com Patrick, novamente quando ele foi “sacado” da banda fui eu que direcionei ele para voltar aos shows de arena.
Estes shows subsequentemente não deram certo porque ele estava muito mal àquela época. Eu precisava da força de um guitarrista irregular e apaixonado e na minha opinião Patrick é o melhor guitarrista da sua geração. E foi um momento ótimo para nós dois, ele tinha acabado de voltar da rehab e sabia exatamente o que eu estava passando sobre a experiência com o Babyshambles.

Quais são seus planos após o lançamento do single e do álbum, vai entrar em tour? O que esperar do seu set? Você tem uma banda completa de apoio no palco? comente o seu live, e sobre a carreira de dj.

O próximo single depois de “Kitten Become Cats” será “I Let Go”, sairá em dezembro, é uma balada shoegaze. Quando tocamos ao vivo, tocamos o disco inteiro menos uma faixa. Não tem músicas antigas é tudo RKC. É duro para as pessoas que querem ouvir as músicas antigas, mas é desta forma que é. Eu planejo tocar mais nestes shows do que anteriormente, agora nós temos algo para provar e a banda está on fire.
Sobre discotecar, eu amo e tenho sorte o suficiente de ser escalado em todo o mundo. Os Djs indie tem uma má reputação em Londres, porque a maioria deles apenas aparecem com alguns CD’s e um iPod. Eu sempre fui DJ, até mesmo antes da banda então eu sei como mover a platéia em qualquer direção. eu também faço remixes e reedito para fazer o set mais interessante e para dar o meu toque de personalidade sonora. Tem alguns remixes meus aqui. http://onesheet.com/djadamficek/.

Mais sobre o artista:

Adamficek.com
twitter.com/adamficek
RKCmusic.com
Babyshambles.net
London-guns.com


-POST RELACIONADOS-

%d bloggers like this: